terça-feira, 14 de junho de 2016

OS MILAGRES

A crença popular admite, como milagre, um fato sobrenatural, oposto às leis da natureza. Ora, essas leis da natureza são invioláveis. O milagre é expressão que decorre de um sentido irreal, místico, fantasioso. Há fatos que se manifestam sem que a ciência tenha ainda penetrado na sua causa ou origem, mas mais dia menos dia, com o progredir da própria ciência, todos os fatos passam a ter a sua explicação, dentro, rigorosamente, das leis naturais e imutáveis. A Inteligência Universal é a Ciência Total. Fora dela não há saber nem ciência; as manifestações da inteligência emanam de uma fonte inexaurível, à qual todos estão ligados: a Fonte Eterna da Força Criadora. 

A Natureza é uma manifestação desta Força, mantida por leis, e coisa alguma pode opor-se a essas leis, a menos que absurdamente se pretenda admitir duas Forças Criadoras antagônicas. A sustentação da ideia do milagre é proveniente da falta de raciocínio e de esclarecimento. O milagre, da maneira como é concebido, apenas prevalece onde a razão é nula ou incipiente.

Aquilo que possa parecer milagre não é mais do que um acontecimento situado na causa e efeito, ou promovido pelo funcionamento regular de leis eternas. Os cientistas terrenos conhecem, apenas, reduzido número de leis da natureza, muitas terão ainda de ser descobertas [...]. Exemplificando, pode-se dizer que as materializações, de certo modo, poderiam provocar a ideia do milagre, e, no entanto, não passam de fenômeno perfeitamente controlado por leis da natureza.

À medida que os seres se esclarecem, a concepção do milagre irá desaparecendo, até extinguir-se. Note-se que os indivíduos rudes e ignorantes são os que mais se apaixonam pela mística do milagre. Nem mesmo a Inteligência Universal pode quebrar as suas próprias leis para operar o milagre. [...] Logo, não tem nenhum significado a expressão “milagre", para que seja sustentada. O fato de escapar alguém da morte, de maneira surpreendente, não tem qualquer ligação com o sentido do milagre, enquadrando-se, antes, na causa e efeito.

As curas chamadas milagrosas correm, na maioria dos casos, por conta da auto-sugestão. A medicina terrena conhece a força da sugestão e os seus resultados. Quando se diz força de sugestão, deseja-se dar ênfase à força do pensamento que produz a sugestão. Assim como numerosos seres adoecem por sugestão, por se convencerem de que estão doentes, também há os que se curam ou são curados pelo mesmo processo. A psicanálise baseia o seu método no poder da sugestão ou na força do pensamento. Pode-se ainda considerar o caso de indivíduos adestrados nas conhecidas "forças ocultas" desenvolverem determinados exercícios mentais que os levam a "realizar curas". São práticas perigosas e desaconselháveis.

O impossível perde a sua expressão na medida em que os conhecimentos racionais evoluem, quando o impossível vai decrescendo, até desaparecer. Por isso, o que é impossível para uns menos evoluídos, não é para outros, mais evoluídos. A ideia do milagre vem dos menos evoluídos verem os mais evoluídos fazer o que eles não podem.

Em resumo, tanto o milagre como o sobrenatural são duas fantasias da criatura pouco versada na razão. Há de chegar o dia em que ela porá de lado tal crença, quando a sua mente for melhor iluminada pelos raios fulgurantes do esclarecimento espiritual.

------------------

Autor: Luiz de Souza



Nenhum comentário: